terça-feira, 14 de julho de 2009

17 picadas

Acabaram-se as picadas no meu braço a cada três semanas. Ontem recebi a última das 17 doses de Herceptin (trastuzumab), o remédio que deve diminuir as chances de que meu câncer volte a aparecer. Tive de receber esse tratamento extra porque meu câncer de mama, infelizmente, era do tipo HER2 positivo, ou seja, tinha um número anormal de células HER2. Quando a superfície do câncer tem um número excessivo de células da proteína HER2, o tumor é mais agressivo, podendo se espalhar mais rapidamente e com maior possibilidade de reaparecimento. 25% dos casos de câncer de mama são HER2 positivo.

Aliás, ontem fui picada duas vezes já que me submeti a mais um exame cardíaco feito para conferir se o Herceptin não está me causando problemas de coração. O exame mostrou que minhas funções cardíacas estão absolutamente normais. Se não estivessem, eu não poderia receber a última dose de Herceptin.

Meses atrás eu tinha planejado festejar estrondosamente o final do tratamento, mas o dia de ontem passou de forma bem tranquila. Ganhei flores do Henrik e à noite a tia dele ficou com a Gabi para que pudéssemos jantar fora. A noite estava agradável, a cidade cheia de gente. Foi como se estivéssemos comemorando um aniversário de casamento. Um pouco surreal.

Hoje tive um dia normal de trabalho e tudo que está relacionado à doença pareceu ainda mais distante. Mas a falta de um seio e a braçadeira me acompanham e não me deixam esquecer o ano e meio que passou.

3 comentários:

Patrícia Marmori disse...

Querida irmã, todas as vezes que leio seus pensamentos no blog (e olha que não passou nenhum em branco)ficou emocionada.
Como você escreve bem! Sinto orgulho de ser sua irmã! Já pensou em escrever um livro!
A forma de compartilhar em palavras os seus pensamentos não ajudam apenas você em encarar um dia depois após o outro. Nos ajuda a entender um pouco mais da doença, as dores, mal estar e angústias por que tem passado.
Que bom que as injeções chegaram ao fim!
Durante todo o tempo aprendi a te admirar ainda mais pela sua força e disciplina no tratamento.

Um grande abraço!
Te amo!

Margareth Marmori disse...

Oi maninha,
Obrigada!
Escrever um livro? Já pensei milhares de vezes, mas minha falta de disciplina ainda não me permitiu concretizar esse projeto.
Também te amo!

Márcia Marmori disse...

Idem as palavras da Tica!!!! Rss....
PS: Viu?! Escrevo tão bem quanto vc!!!! Rsss.....
Beijocas